Medicamentos e obesidade no tratamento do Transtorno Bipolar


O ganho de peso associado ao uso de medicamentos no tratamento de doenças psiquiátricas será o tema da reunião-palestra de abril do Grupo de Apoio aos Pacientes com Transtorno do Humor Bipolar (GAPB). O encontro será realizado na terça-feira, dia 24 de abril, no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA).

Segundo dados do grupo de estudos da Psiquiatria Molecular do HCPA, estima-se que a prevalência da obesidade em pacientes psiquiátricos tratados farmacologicamente seja de duas a cinco vezes maior do que na população em geral. De acordo com a nutricionista e mestranda em Ciências Médicas: Psiquiatria (UFRGS), Juliana Andrade, uma das possíveis causas é a de que a medicação usada para o tratamento da depressão pode levar ao ganho de peso. “Este fator frequentemente contribui para a não adesão do tratamento psiquiátrico. A interrupção pode culminar em uma recaída e novas internações”, explica.

Acompanhe abaixo uma entrevista realizada com a nutricionista Juliana Andrade:

GAPB – Quais são os principais problemas de saúde que uma pessoa obesa pode enfrentar?

Juliana – A obesidade é um importante problema de saúde pública e está associada a várias doenças como a Hipertensão Arterial, Diabetes Mellitus, Dislipidemia (aumento do colesterol e triglicérides no sangue), risco de Doenças Cardíacas, associados com um aumento de mortalidade.


Juliana – 
Sim, pode, pois a maioria dos medicamentos psiquiátricos são conhecidos por gerar ganho de peso, podendo levar à obesidade em alguns pacientes. Este fator frequentemente contribui para a não adesão ao tratamento psiquiátrico e esta interrupção pode culminar em uma recaída e novas internações.GAPB – E uma pessoa com um transtorno psiquiátrico pode ganhar peso mais facilmente do que as outras pessoas?

GAPB – Existem recomendações que poderiam ser seguidas para amenizar o efeito do aumento de peso?

Juliana – Sim, os pacientes devem ser instruídos sobre o ganho de peso como um efeito adverso das medicações psiquiátricas. Devem ser orientados ao monitoramento do seu peso corporal, como um padrão de cuidados, assim como realizar exames de sangue e verificação dos sinais vitais para garantia da detecção precoce. Esta intervenção é a chave para prevenir significativamente o ganho ponderal e os fatores associados.

Outras formas de amenizar o efeito é atentar para a importância da modificação do estilo de vida e dos padrões comportamentais (tabagismo, inatividade física, hábitos alimentares), para reduzir o peso corporal, influenciando positivamente no tratamento medicamentoso.

—————

Serviço:
O quê? Reunião do Grupo de Apoio a Pacientes com Transtorno Bipolar (GAPB), tema “Cuidados com alimentação no transtorno bipolar”, com a nutricionista e mestranda em Ciências Médicas: Psiquiatria (UFRGS), Juliana Andrade
Quando? Dia 24 de abril, terça-feira, às 19h.
Onde? Sala 160, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (Rua Ramiro Barcelos, 2350).
Quanto? a palestra é gratuita
Como? Basta chegar 15 min antes das 19h, apresentar-se na recepção central do hospital (em frente ao Banco do Brasil) e pedir para ser direcionado para a reunião do GAPB – na sala 160.
Atenção: Não é necessário inscrição e não fornecemos certificado.

Contato: 51 3359-8846, e e-mail contatogapb@gmail.com 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s